Código: 7229
Objetivo

Refletir sobre o processo ensino/aprendizagem e sua complexidade;
Vivenciar alguns recursos psicopedagógicos (histórias, linguagem plástica, expressão corporal e jogos) que ajudam a potencializar aprendizagens mais significativas;
Conhecer e compartilhar estratégias que favorecem o papel do educador como mediador do conhecimento;
Ampliar a reflexão sobre a relevância do trabalho em grupo no espaço escolar;
Desenvolver um olhar que não foque apenas nas faltas e dificuldades, mas que também enxergue recursos, talentos e facilidades.

Corpo Docente

Cristina Teresa del Nero Ferreira (Psicóloga com especialização em Psicopedagogia, docente de cursos de Psicopedagogia).
Izilda Freitas Rolim (Pedagoga com especialização em Psicopedagogia e Arte Terapia, docente do curso de Psicopedagogia do Instituto Sedes Sapientiae).
Linda Derviche Blaj (Mestre em Letras pela USP, Pedagoga com especialização em Educação Infantil e Psicopedagogia, especialista em Cuidados Integrativos pela Unifesp).
Marilda Nogueira Costa de Almeida (Psicóloga com especialização em Psicopedagogia, docente do curso de Psicopedagogia do Instituto Sedes Sapientiae, especialista em Cuidados Integrativos pela Unifesp).

Conteúdo Programático

Autores como Jacques Delors e Edgar Morin refletem sobre a necessidade de se rever o paradigma educacional, para podermos avançar nas transformações necessárias que o mundo contemporâneo exige, para que o homem das futuras gerações desenvolva mais solidariedade, empatia e compreensão da humanidade. Sob o referencial teórico desses autores o curso se propõe a refletir sobre a educação de ontem, hoje e amanhã.
A teoria de Alicia Fernández, psicopedagoga argentina, também irá nos fornecer elementos para maior reflexão e compreensão da complexidade do processo de ensino e aprendizagem: fatores que favorecem e dificultam o aprender.
O educador, peça fundamental desse processo necessita de cuidados físicos e afetivos emocionais. Assim, pensar e refletir sobre o seu papel e ações, favorece maior compreensão e possíveis resignificações do seu fazer educacional.
Haverá espaço para discussões de casos trazidos pelos alunos do curso como: “Ele se recusa a ir à escola; Como reagir às notas baixas”? – para elaboração e reflexão de ações possíveis.
Propostas de experiências de aprendizagem por meio de diferentes linguagens e os cinco sentidos para a reinvenção e construção personalizada do conhecimento:

  • Linguagem plástica: Uma imagem pode conter muitas palavras. “Criar é próprio do artista – onde não há criação, a arte não existe…” Com olhos de criança de Henri Matisse.
  • As Histórias como recurso de novas aprendizagens… As histórias dizem algo que nos reconhecemos: …A criação de imagens após a leitura de um conto tibetano de tradição oral, muitas aprendizagens podem surgir…
  • O Jogo que constrói a grupalidade; O jogo: Como trabalhar no agora? Trabalhar o jogo como instrumento de diagnóstico, avaliação e desenvolvimento de habilidades.
  • Tecnologia e Educação: parceria possível: “É possível, para você, viver sem a mediação tecnológica?”
  • O corpo que aprende: Conhecer envolve além do pensamento, a percepção, o afeto, a emoção e a ação.

ESTRATÉGIAS: Aulas teóricas e práticas envolvendo vivências de diferentes recursos psicopedagógicos e reflexões sobre as abordagens levantadas.

Destinado a

Psicopedagogos, pedagogos, psicólogos, educadores, profissionais da área.

Duração/Horário

Duração:

18/08/2017 a 24/11/2017.

Horário

sextas-feiras, das 14h00 às 16h00.

Share on FacebookTweet about this on Twitter