Código: 7776
Objetivo
(...) deveríamos, mais sábia e humildemente, fazer também a rota inversa:
procurarmo-nos no paciente, e não só procurá-lo em nós.
Manfredi, 1994
- Favorecer a ampliação da escuta clínica, baseada na articulação entre a teoria e a experiência clínica psicanalítica.
- Propiciar um espaço de reflexão e trocas de experiências com base na apresentação de questões teóricas e clínicas, tendo como principais interlocutores W.Bion, Willy e Madeleine  Baranger, Antonino Ferro e Thomas Ogden.
- Apresentar o pensamento teórico-clínico de campo analítico em psicanálise - e nele, o modo como se insere/articula o conceito teórico-clínico de contratransferência.
- Refletir sobre as transformações que se operam no campo analítico a partir de uma escuta clínica onde o analista está profundamente implicado nos acontecimentos desse campo - fantasia inconsciente compartilhada, resistência compartilhada.
Corpo Docente

Gina Tamburrino e professora convidada: Marina F. R. Ribeiro.

Conteúdo Programático
  • Proporcionar uma visão panorâmica da evolução do conceito teórico- clínico da contratransferência, desde Freud até a atualidade, dando a ver a transformação de uma abordagem unipessoal para a intersubjetiva.
  • Apresentar a articulação entre o fenômeno contratransferencial e a implicação do analista
  • Trabalhar com os referenciais teóricos e as contribuições para a técnica psicanalítica de Antonino Ferro e Thomas Ogden, baseados na trajetória conceitual de Freud, Klein e Bion.
  • Apresentar e fazer trabalhar os conceitos que se relacionam com: a) a teoria do pensar (Bion): rêverie, identificação projetiva, fato selecionado, capacidade negativa, função alfa, entre outros; b) a teoria do campo analítico (Willy e Madelenine Baranger): campo analítico, fantasia inconsciente compartilhada, baluarte, segundo olhar, entre outros; c) o conceito de terceiro analítico e rêverie (Thomas Ogden); d) gradiente de funcionamento mental (do sonho às alucinações: sonho, fotograma onírico da vigília (flashes visuais), transformações em alucinose, alucinações) e interpretação narrativa (Antonino Ferro).
  • Abordar a questão dos limites do analista, e os impasses que surgem na sala de análise: enactment crônico e agudo (R. Cassorla).
  • A questão da analisabilidade.
ESTRATÉGIAS: Aulas teórico-clínicas baseadas em textos de diversos autores (conforme bibliografia)  que deverão ser previamente lidos pelos participantes.
Destinado a

Psicanalistas, psicólogos e demais profissionais que exerçam atendimento clínico de orientação psicanalítica.

Duração/Horário

Duração:

um ano.  Carga horária do curso: 80 horas.

Horário

sextas-feiras das 10h00 às 12h30.

Informações para inscrições

Nº vagas: 20 (vinte).

Inscrição até: 05 de fevereiro de 2018.

Processo seletivoAnálise de curriculum vitae e entrevista individual.

- Publicação dos resultados: 16 de fevereiro de 2018, às 14h00.

Início do ano letivo: 09 de março de 2018.

Anuidade de 2018: matrícula - R$ 371,00 mais 10 parcelas de R$ 371,00.

Inscrição: 100,00 (cem reais)

Documentos necessários e outras informações para inscrição, clique aqui...



Share on FacebookTweet about this on Twitter