Há mais de 35 anos o Departamento de Psicodrama (DPSedes) forma profissionais para atuação em diversos campos: educacional, saúde, social e organizacional.

Sua missão é a excelência e ética na formação básica e continuada de profissionais para o trabalho com pessoas, grupos e relacionamentos humanos por meio da metodologia socionômica.


Sobre o Psicodrama

O que é?

O Psicodrama é um método de ação profunda e transformadora, que trabalha tanto as relações interpessoais como as ideologias particulares e coletivas que as sustentam. Sua aplicação permite uma das mais eficientes e criativas formas de intervenção nos campos da saúde, da educação, das organizações e dos projetos sociais.

É orientado pela emoção, pelo grupo e pela cocriação, pois busca promover estados espontâneos, discriminar e integrar, com certa harmonia, o individual com o coletivo, o mundo interno com a realidade compartilhada. Produz catarse emocional e insights cognitivos. Para isso, usa tanto a ação dramática, como a comunicação verbal e a não verbal.

Nasceu do Teatro de Improviso., tendo sido criado por Jacob Levy Moreno (1889-1974) um psiquiatra romeno que viveu na Áustria e nos Estados Unidos. Em 1921 ele fundou o Teatro da Espontaneidade, no qual, ousadamente, convidava o público a criar sua própria história, teatralizando-a de forma espontânea, no melhor estilo dos espetáculos da Commedia dell’Arte realizados, no séc. XVII, nas ruas da Itália, naquela época multifacetada e rica em dialetos.


Como funciona?

A partir de um conflito ou de uma questão o Diretor do Psicodrama propõe aos participantes, seja  um grupo ou apenas uma pessoa, a busca de possíveis soluções por meio  da ação dramática. Esta é  realizada em um contexto diferenciado,  no qual instala-se um tipo especial de  realidade o como se. Desta forma o conflito pode ser vivido em um campo relaxado e lúdico, sem as tensões inerentes ao conflito. Isto permite a construção de um repertório de novas  soluções, beem  como o desenvolvimento da criatividade e da espontaneidade  frente às  questões da vida.   

A ação dramática ocorre em um palco ou cenário, nos quais  um personagem  protagônico, catalisa o foco da ação. O coordenador dos trabalhos e diretor da ação dramática pode ser auxiliado por outros profissionais, chamados egos auxiliares, que têm por principais funções: encarnar pessoas ausentes importantes na estruturação dos conflitos, assumir o lugar dos personagens  explicitando sentimentos ocultos, criar novas ressonâncias e contrapontos às experiências causadoras de sofrimento, além de acolher a dor e o conflito de um ponto de vista do fraterno, em uma  relação simétrica, diferente  de uma relação assimétrica  com o terapeuta, professor, coordenador etc.

Assim, tal método de ação encena histórias, encarna personagens internos ou míticos, desenvolve enredos, cria realidades suplementares. No aqui e agora são representadas cenas que podem retratar lembranças do passado, situações vividas de maneira incompleta, conflitos, sonhos, e até, formas de lidar adequadamente com acontecimentos futuros. Nesse processo ficam evidentes modos singulares de ser, sentidos sociais e culturais do vivido, que podem ser transformados.

Os termos personagem protagônico ,solilóquio, cena, cenário, diretor, papel mostram não só a origem teatral do Psicodrama, como também a permanência intrínseca da possibilidade revolucionária e popular das Artes Cênicas no centro da intervenção psicodramática. Com a diferença que no Psicodrama o resultado estético pode ser bom, mas não deve orientar o processo, como acontece no teatro convencional.

Por outro lado, os termos locus e  placenta social, evidenciam  como o Psicodrama trabalha com a construção da subjetividade: na  interface  entre a sociologia e a psicologia,  em um   campo onde se dá a construção teórica e metodológica do Psicodrama.


Como se tornar psicodramatista?

A formação em Psicodrama permite obter o título de psicodramatista e portanto coordenador de grupos, coach de grupos, sociodramatista, socionomista, ego-auxiliar. Além de permitir com esse pré- requisito passar para o nível II que é o de terapeuta de aluno em psicodrama e docente na área.

A pesquisa em Psicodrama ocorre em seu próprio fazer, pois o referencial teórico-metodológico-prático moreniano apoia-se no aqui e agora dos indivíduos e do grupo.

Por liberar a espontaneidade-criatividade do Ser Humano, esse locus de cocriação pede dois movimentos complementares: o primeiro permite o fluir da intuição e da ação espontânea; o segundo persegue um pensar que permite a compreensão do que ocorre no jogo intersubjetivo.

Neste sentido, não só o Diretor de Psicodrama é um investigador participante como todos os envolvidos acabam tendo o estatuto de pesquisador. A pesquisa psicodramática é precursora da Pesquisa-Ação, pois é uma modalidade de pesquisa humana, para e com a população.

Para realizar seus objetivos, o método apoia-se num pressuposto de Homem, em sólido campo teórico e em um poderoso arsenal de técnicas, que são percorridos no Curso de Formação em Psicodrama do Instituto Sedes Sapientiae, que forma profissionais para a atuação nos focos Psicoterápico e Sócio-Educacional.


O que mais o DPSedes oferece?

O DPSedes empenha-se na criação e implementação de projetos que estimulem a participação de seus professores, alunos e demais associados em atividades que favoreçam a interlocução, reflexão, parcerias, intercâmbio de conhecimentos teórico-práticos e produção científica, acesso a publicações entre outros aspectos, visando a formação continuada e a atualização em Psicodrama.

O Projeto Polos de Atendimento: Serviços e Pesquisa foi criado em 2015 e é uma parceria interinstitucional entre DPSedes e Setor de Saúde Mental do Departamento de Pediatria da Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP, coordenado pela doutora Mariângela Pinto da Fonseca Wechsler. Estão sendo atendidos grupos de funcionários e mães da hemodiálise pediátrica, assim como grupo de adolescentes do Setor de Saúde Mental. Atendimento e Supervisão constituem-se como uma iniciativa em pró às transformações sociais e educação continuada.

Projeto A.R.A.D.O (Abordagens, Reavaliações, Atualizações Desdobramentos e Operacionalizações), coordenado por André Dedomenico foi criado em 2015 e uma 6ª. feira por mês reúne nossos Associados e público em geral para conversações sobre Clínica Ampliada

Aulas abertas, Palestras, Discussões Clínicas, Cursos Breves, Sociodramas, Teatro Espontâneo, Seminários, Jornadas, Congressos, Workshops, e-groups de discussões, Treinamentos, Consultorias, Oficinas de Redação Científica, são exemplos de atividades oferecidas aos associados.

 O DPSedes é dirigido pela equipe de gestão em rede (2015-17).

Coordenador Geral: Mariângela Pinto da Fonseca Wechsler

Coordenador de Ensino: Rosane Avani Rodrigues

Coordenador Científico: Dolores Toloi

Como um espaço de formação, estudo e pesquisa, oferece os seguintes cursos:

Especialização: 


Expansão Cultural:

  • A família no judiciário;
  • Jogos, Dinâmicas de Grupo e Recursos para trabalho Comunitário, Institucional, Empresarial e Educacional;
  • Trabalhando com Grupos;
  • A Terapia Familiar como proposta de Cultura da Paz: abordagem sociodramática sistêmica.
Share on FacebookTweet about this on Twitter