Código: 8449
Objetivo

O curso ocorrerá em plataforma online

  • Abordar e fundamentar conceitualmente os elementos que sustentam as práticas sociais e ações de cuidado e proteção em contextos de fragilidade, ruptura e violação de direitos.
  • Compreender a distinção entre precariedade, abandono e responsabilidade, para interrogar, a partir de contextos e experiências no campo social, o que constitui uma posição de transmissão na educação e cuidado de crianças e adolescentes.
  • Refletir sobre os mecanismos de criminalização e patologização produzidos nas relações institucionais, considerando a produção de sofrimento psíquico e seus efeitos nos processos de subjetivação.
  • Construir uma posição de escuta que permita ampliar práticas e intervenções em seu campo simbólico, subjetivo, social e político, produzindo novas possibilidades de historicização dos laços.
Corpo Docente

Cristina Rocha Dias (Psicanalista, membro do Departamento Formação em Psicanálise, mestre em Psicologia clínica IP USP, membro do Laboratório Psicanálise, sociedade e política do IP USP, docente e supervisora clínica, atuou como supervisora técnica do Instituto Fazendo História).
Professoras convidadas:
Isabela Lemos (doutoranda do programa Pós-Colonialismos e Cidadania Global da Universidade de Coimbra; membro do Laboratório de Psicanálise, Sociedade e Política do IP USP; membro e fundadora do coletivo Margens Clínicas (2012); coordenou o projeto "Cartografias da Memória" (2015), vinculado à Secretaria Municipal de Direitos Humanos de São Paulo e atuou como supervisora clínica de equipes multiprofissionais da saúde e assistência social do município de São Paulo, no Centro de Estudos em Reparação Psíquica (2017), braço formativo das "Clínicas do Testemunho" da Comissão de Anistia (Ministério da Justiça)).
Laís Boto (Assistente social, especialista em saúde mental, imigração e interculturalidade pela UNIFESP; atua no instituto Fazendo História no programa "Grupo nÓs", que acompanha e apoia adolescentes e jovens em processo de transição dos serviços de acolhimento para a vida fora das instituições; membro da equipe pedagógica do programa da Pró-reitoria de extensão e cultura PROEC no projeto "Redes, conexões e saberes no contexto dos recentes fluxos migratórios").

Conteúdo Programático
  • Contexto social e políticas públicas de proteção à infância e juventude – delimitando o campo.
  • Educar ou vigiar, controlar e punir? O que caracteriza um contexto educativo e o que nele se transmite?
  • Sentidos da vulnerabilidade, modos de segregação e a prática nas instituições.
  • A alta complexidade do fazer educativo no campo social ou como “não tirar o corpo fora”.
  • Sofrimento psíquico, desamparo e enigma: o que é possível escutar e acolher no cotidiano?
  • Fazer do “caso” uma história – construindo lugares de transmissão subjetiva, social e política.

ESTRATÉGIAS: Seminários teóricos em interlocução com os textos indicados, discussão e articulação entre a teoria e a prática no campo social.

Destinado a

Educadores, psicólogos, assistentes sociais, coordenadores e demais profissionais que atuem em políticas públicas de infância e juventude, pedagogos, psicanalistas, cientistas sociais.

Duração/Horário

Duração:

18/08/2021 a 03/11/2021.

Horário

Quartas-feiras, das 19h00 às 21h00.

Informações para inscrições

O curso será no formato online, ministrado ao vivo (de forma remota) com a participação do professor e alunos via internet. (Google Meet). Todas as aulas, dúvidas e debates serão realizados rigorosamente nos dias e horários indicados de acordo com a carga horária do curso. Para participar é necessário ter conexão de internet banda larga e as aulas serão acessíveis via computador (com câmera e microfone)/ e ou smartphone.

Carga horária: 24 horas.

Nº vagas: 20 (vinte).

Matrícula até: 16 de agosto de 2021.

INVESTIMENTO: - Via Internet: R$ 936,00 no cartões de crédito (conforme política da operadora); cartão de débito (à vista).

Documentos necessários e outras informações para inscrição, clique aqui...

Inscrições encerradas.



Share on FacebookTweet about this on Twitter