NOTÍCIA

Após suicídio de filho, britânica quer 'violência doméstica' em escolas... 

ler notícia em http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2015/03/150306_violencia_domestica_curriculo_mv
 

O CNRVV - Centro de Referência às Vítimas da Violência do Instituto Sedes Sapientiae objetiva realizar trabalho de combate à violência doméstica, através de programas e políticas de intervenção.

Originou-se do Núcleo de Referência às Vítimas da Violência, setor da Clínica Psicológica deste Instituto, em 1994. Articulado e sintonizado com os seus princípios na defesa intransigente dos direitos humanos, do ECA - Estatuto da Criança e do Adolescente - e da cidadania.

Em 2000, é referendada pela Diretoria e pelo Conselho do Instituto Sedes Sapientiae a sua inserção na instância de Centros do Instituto, como Centro de Referência às Vítimas da Violência, CNRVV.

Em 2002 foi vencedor do Prêmio Criança 2002 da Fundação Abrinq – categoria Violência Doméstica.

Intervém no social e na saúde mental com programas de: tratamento, prevenção, formação de profissionais, pesquisa, parcerias/divulgação e administração - busca alternativas para que a criança e o adolescente possam romper com o pacto do silêncio, com a lógica da crueldade e interromper o caminho que leva, quase sempre, do lugar da vítima ao do agressor.

I - Tratamento

Desenvolve, numa perspectiva transdisciplinar/interinstitucional, intervenções concretas e integradas junto a instâncias jurídicas, sociais, educacionais e de saúde.

Percurso do caso: plantão social telefônico, triagem, encaminhamento psicossocial no CNRVV ou externo.

Tratamento prioriza o grupo familiar. Quando este não é possível, se encaminha para grupos: crianças, adolescentes, pais/responsáveis, casais, agressores, utilizando-se como instrumentos das técnicas psicodramáticas, psicanalíticas e /ou sistêmicas.

O CNRVV é conveniado com a SMADS – Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social para execução do Programa Sentinela, das regiões norte e oeste da cidade de São Paulo.

O Programa Sentinela tem por objetivo atender, através de um conjunto articulado de ações, crianças e adolescentes abusados ou explorados sexualmente; Criar condições que possibilitem às crianças e adolescentes vitimados sexualmente e às suas famílias, o resgate dos seus direitos, bem como o acesso aos serviços de assistência social, saúde, educação, justiça e segurança, esporte, lazer e cultura.

II - Prevenção

  • Criação de Pólos de Profilaxia - em equipamentos sócio-educacionais como creches e núcleos sócio educativos da cidade de São Paulo - dois por região - visa a prevenção da violência doméstica, a formação de multiplicadores e o desenvolvimento da cidadania.
  • Ampliação do número de pólos de prevenção - abrangência e repercussão social nas instituições e populações locais evitam a emergência das situações de risco e promovem melhor proteção às crianças e aos adolescentes; Já foram implantados treze pólos. Foram implantados 20 novos pólos de prevenção no período de 2005/2007, em parceria com oInstituto WCF Brasil (World Childhood Foundation) e a Fundação Abrinq.

Atualmente, está em andamento projeto em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social - SMADS para capacitação e implantação novos pólos de prevenção nos Núcleo Sócio Educativos de diversas regiões de São Paulo.

 

  • Expectativa de ampliação para escolas da rede pública e/ou particular, bem como outros equipamentos sociais - dependendo para isso de novos financiamentos estatais ou privados.

III - Formação

  • Curso de Aperfeiçoamento em Violência Doméstica, numa visão transdisciplinar; duração de dois anos (sendo o segundo ano opcional) - destinado a profissionais que trabalham ou queiram trabalhar com esta temática. Aulas ministradas pelos profissionais do CNRVV, bem como por professores convidados.
  • Capacitação de profissionais - Realiza programas de capacitação em instituições compostas por técnicos, como: assistentes sociais, educadores, psicólogos e/ou conselheiros, tanto na cidade de São Paulo como em outras cidades do País.
  • Palestras, workshops, congressos, jornadas - onde a conscientização do imprescindível envolvimento e comprometimento dos profissionais com a causa da Violência Doméstica é constantemente trabalhada, bem como as orientações sobre a necessidade de entendimento do fenômeno e conseqüente organização para a busca do enfrentamento são divulgados a partir de nossa experiência.

IV- Pesquisa:

O CNRVV desenvolve pesquisa junto às diferentes áreas de trabalho com objetivo de aprimorar a metodologia de intervenção. Visa a produção de conhecimento que permita superar radicalmente o senso comum, a abordagem moralizadora e normativa do fenômeno, podendo assim produzir metodologias específicas para esta praxis.

  • No tratamento, busca estabelecer um perfil dos personagens envolvidos no drama da violência doméstica e as diferentes formas de intervenções utilizadas.
  • Na prevenção, estabelece o perfil da população atendida - pais, crianças/adolescentes, agentes educacionais - tendo em vista a questão da violência doméstica e a eficácia das intervenções realizadas.
  • Em andamento, pesquisa em parceria com UNICEF: “Sistemas de notificação e detecção da violência em escolas públicas/Propostas para integração entre projetos políticos, pedagógicos e o sistema de garantia de direitos”.

V - Parcerias e Divulgação

  • Ampliação e fortalecimento das parcerias visando uma Rede de Serviços que cubra as diferentes e complexas exigências de atendimento e encaminhamento da criança/adolescente "vitimizado", de sua família e do agressor.
  • Busca de maior agilidade e rigor nos procedimentos necessários à proteção da criança e do adolescente, o que implica uma articulação mais estreita com a rede de serviços; Integra a Rede de Apoio de Pólos Nacionais Lacri, constituindo-se no Pólo 3 da região Sudeste. Participa, enquanto P3 da Campanha pela ABOLIÇÃO DA PUNIÇÃO CORPORAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO BRASIL.
  • Participa da Comissão Estadual de Enfrentamento à Violência e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes.
  • Participa do Grupo de Estudos da Violência da SOCIEDADE BRASILEIRA PEDIATRIA.
  • Integra a Frente Parlamentar de Enfrentamento à Violência e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes do Estado de São Paulo.
  • A reivindicação, junto aos órgãos governamentais e da sociedade civil, de equipamentos nas áreas de assistência e educação que se constituam em retaguarda de encaminhamento dos casos mais graves;
  • A realização de ações integradas em uma comunidade - por exemplo - a criação de projeto piloto - a fim de gerar políticas públicas.
  • A realização de Fóruns de Debate mensais utilizando temas como estratégia para sensibilizar a rede de parceiros.
  • A participação do CNRVV em Fóruns, discussões regionalizadas e movimentos sociais de defesa da criança e do adolescente;
  • A produção e desenvolvimento de instrumentos de comunicação que permitam a difusão e troca de idéias entre os parceiros: folder, fita K7 para programa em rádios oficiais e comunitárias, etc.
  • A divulgação das publicações do CNRVV:
    • Livro: “O Fim do Silêncio na Violência Familiar – Teoria e Prática”, (orgs) Dalka Ferrari e Tereza Vecina, Editora Ágora, SP, 2002.
    • Publicação Abrinq: “ O fim da Omissão: A implantação de Pólos de Prevenção”, autoria da equipe do CNRVV, 2002.
  • A busca constante de financiamento para garantir a autonomia financeira do CNRVV - captação de recursos financeiros que sustente o trabalho em equipe, incluindo necessariamente a área de tratamento e a capacitação contínua dos profissionais do CNRVV;

VI - Administração:

Área responsável pela administração e gerenciamento dos recursos financeiros e materiais (da estrutura necessária para funcionamento).

Conclusão

Para finalizar, o CNRVV realiza seus programas observando sempre um cuidado com a própria equipe de trabalho, fortalecendo os mecanismos internos de coesão e solidariedade, para que os aspectos destrutivos intrínsecos ao fenômeno com o qual lidamos não retire a vitalidade necessária a este trabalho.

PUBLICAÇÕES:

Guia para Atendimento de CRIANÇAS e ADOLESCENTES Vítimas de Violência

CAPA TEXTO (MIOLO)

  RE Construção de VIDAS

CAPA TEXTO (MIOLO)

  O Fim da Omissão A implantação de pólos de prevenção à violência doméstica    PIAR em ninho Virtual - Cartilha do PIAR
Share on FacebookTweet about this on Twitter