quarta-feira, 02 de junho de 2021 - 11h20

Encontro Teórico Clínico: Políticas públicas de saúde na atenção aos adolescentes, contribuições winnicottianas
02 jun 2021

Encontro Teórico Clínico: Políticas públicas de saúde na atenção aos adolescentes, contribuições winnicottianas

No último dia 19/05/2021 o Departamento de Psicossomática Psicanalítica apresentou o Encontro Teórico Clínico: Políticas públicas de saúde na atenção aos adolescentes, contribuições winnicottianas, com a apresentação de  Rosana Onocko Campos e comentários de Mirian I. Rejani

O mapa da violência no Brasil mostra um aumento de homícidios cometidos contra os   jovens negros e pobres na faixa etária de 16 e 17 anos de idade. Observa-se uma criminalização dos adolescentes baseada na cor da pele e na condição social. A sociedade, por sua vez, legitima essa violência contra esses jovens, negando a violência estrutural da qual padece.

Na justificativa de proteção da sociedade a política pública prega a vigilância e   a punição, atitudes, muitas vezes, reproduzidas pelas instituições que deveriam cuidar desses jovens. As condutas desafiantes e agressivas muito comuns entre os adolescentes que testam o ambiente o tempo todo são respondidas pela medicalização e pela normatização dos comportamentos, visando a adaptação ao meio. O ambiente não sobrevive aos atos agressivos dos jovens, pelo contrário, não exerce as funções de holding e de handling, conceitos apontados por Winnicott. Na concepção winnicottiana a conduta antissocial dos adolescentes são um pedido de ajuda, um grito de socorro para que o ambiente lhes devolva o que lhes foi tirado. Os profissionais responsáveis pelo cuidado dos jovens, diante da falta de apoio e suporte institucional, sofrem do mesmo desamparo a que os jovens estão expostos e, assim como eles, necessitam também de suporte, acolhimento e escuta.

https://www.youtube.com/watch?v=L8YOc0tRUZs

Share on FacebookTweet about this on Twitter